Porquê a Info não é uma boa revista

Continuando o assunto do meu post anterior, como prometido, vou falar um pouco sobre a revista Info Exame.

Apesar de ter sido a primeira revista de informática que comprei (no longínquo ano de 1993, quando ela ainda se chamava Informática Exame), a Info Exame é uma revista que perdeu o meu respeito conforme o tempo passou. Não acho que podemos considerá-la uma revista de informática. Talvez uma revista de negócios seja uma melhor definição, mas ainda assim não seria uma boa definição. Talvez seja esta indefinição que torne a Info uma revista tão sem sal. Acho que ela seria melhor definida como uma revista genérica, assim como outras publicações da editora Abril, como a Veja e a Você S/A: as matérias são superficiais (talvez por serem escritas por jornalistas e não por profissionais da área); você sempre tem a impressão de que já viu ou ouviu falar o que é publicado, ou seja, nada é novidade; muitas reportagens passam a impressão de que foram encomendadas; quantidade excessiva de propaganda; sempre tentam te vender algo que será a solução de todos os problemas da área de TI; isso sem falar na total ausência de artigos técnicos e voltados para a área de desenvolvimento.

Outra coisa irritante são as matérias de capa. Vocês já perceberam que elas se alternam freqüentemente? Reparem que em todos os anos, sem exceção, sempre são escritas matérias sobre: 100 (ou 50) programas freewares e sharewares (ou utilitários) que não podemos deixar de ter, 100 (ou 50) melhores sites da Internet, 100 (ou 50) dicas de segurança para evitar que nossos computadores sejam invadidos por hackers malvados ou vírus ou spam ou..., como "turbinar" o PC (ou guia de upgrade), como conseguir o emprego dos seus sonhos, e toda aquela baboseira de sempre. E isso pode ser confirmado no próprio site dela: vejam as edições de 2004, 2003 e 2002, por exemplo.

Lembro-me de que há uns 7 ou 8 anos a Info começou a publicar alguns artigos da Dr. Dobb's Journal, uma revista americana voltada para desenvolvimento. Pela primeira vez vi artigos de qualidade e fiquei entusiasmado. Infelizmente, a coluna só foi publicada durante uns 4 meses. Uma pena mesmo.

Ricardo Oneda.

Comments (3) -

  • Alfred Myers

    2/7/2005 5:50:01 PM | Reply

    A sensação que tenho é que a gente evoluiu e a revista "involuiu". Nós fomos nos especializando e a revista se tornou, como você disse, genérica. Houve um tempo em que a revista trazia coisas úteis para o desenvolvedor. Na edição de julho de 1993, por exemplo, foi pubilicada uma rotina de números por extenso. Utilizei este código no Access, então na versão 2.0. Os anos foram passando e o código acabou sendo portado para Access 97 e depois Visual Basic 6.0 sem que fosse preciso mexer em muita coisa. O código pode até não ser brilhante, mas eu nunca me preocupei em mexer porque dava e ainda dá conta do recado. Apesar de preferir o C#, quando eu for portar o código pra .NET é bem provável que eu o mantenha em VB.NET. Pra que mexer em time que tá ganhando? Num código que nunca me deu problemas? Concluíndo: Tudo isso pra concordar contigo. A revista como boa parte da mídia e da educação em geral acabou sendo nivelada por baixo. É uma pena... Acho que vou ali comprar o livro "Brasileiros Pocotó" pra tentar entender isso.

  • Julio Eduardo Mena Herrera

    2/8/2005 3:03:01 AM | Reply

    Concordo plenamente, eu fui assinante da revista Info Exame, mas quando foi a hora de renovar, não pensei duas vezes, não renovei. É uma pena.

    Abraços.

    Julio Eduardo Mena Herrera - BrDevelopers MVM - Most Valuable Member.

  • Macelo Colla

    2/8/2005 3:56:01 AM | Reply

    Ja faz tempo que eles nao tem uma materia de responsa como nas primeiras exame informatica.... Abs.

Loading