O fim do Google Reader… e opções para substitui-lo

 

Qual assunto tomou conta do Twitter e da Web nas últimas horas? Se você acha que foi o anúncio do novo Papa, está divinamente enganado. O que tem causado grande comoção e uma avalanche de protestos foi o anúncio de que o Google Reader será desativado em 01 de Julho. Na verdade, esse é mais um passo do Google na direção de se tornar uma empresa de devices, afinal, a moda agora é imitar a Apple. Os sinais estavam claros já há bastante tempo: entre outros, o Google está entrando nos mercados de óculos (Google Glass) e de automóveis (sem motoristas). Especialistas especulam que as próximas vítimas do Google seriam o GMail, o Android e, pasmem, o mecanismo de busca que foi a origem de tudo o que o Google é hoje. O Orkut e o Google+ continuariam a existir, mas o motivo é desconhecido, já que ninguém usa esses serviços.

GoogleReader

 

Exageros a parte (você não achou que o GMail, Android e a busca serão descontinuados pelo Google, achou? Eles não fariam isso… ou fariam?), a desativação do Google Reader pegou todo mundo de surpresa e provocou até a criação de um abaixo-assinado para mantê-lo funcionando. O motivo alegado pelo Google é de que a quantidade de usuários desse produto tem caído nos últimos tempos e eles precisam focar seus esforços em menos produtos. Não sei se isso é verdade, mas o Google Reader era uma referência entre leitores de RSS e dominava o mercado até então, o que me faz acreditar que ainda possui muitos usuários. Prova disso foi a repercussão que o anúncio causou. Alguns estão especulando que o verdadeiro motivo dessa decisão é que o Google não estava conseguindo encontrar uma maneira de explorar financeiramente o produto. Esse fato serviu para mostrar o quanto estamos nas mãos de empresas que, de uma hora para outra, podem tomar uma decisão e deixar seus usuários na mão.

 

Agora, só nos resta procurar por alternativas para substitui-lo. Algumas opções são:

 

  • NewsBlur:  com o anúncio da desativação do Google Reader, a procura foi tão grande que derrubou o site por algum tempo. A versão gratuita possui algumas limitações;
  • feedly:  parece ser bem interessante. Tem várias funcionalidades semelhantes ao Google Reader e foram bem rápidos, disponibilizando um mecanismo de sincronização com o serviço do Google, para quem está migrando de lá. Para acessá-lo pelo browser, é necessário instalar uma extensão, disponível para Firefox, Chrome e Safari;
  • The Old Reader:  é o mais novo da lista e parece que ainda tem bastante para evoluir;
  • Bloglines:  houve um tempo em que o Bloglines era um dos leitores de RSS mais utilizados e conhecidos. Claro, isso foi antes do Google Reader aparecer. Depois, entrou em decadência e chegou a anunciar que seria fechado. Foi então comprado por outra empresa, que decidiu mantê-lo na ativa, mas o estrago na imagem do produto já havia sido feito. Eu fui um dos que fugiu do Bloglines para o Google Reader, com receio de que o serviço simplesmente sumisse de um dia para o outro, achando que o Google seria mais confiável… que ironia! Por incrível que pareça, o serviço ainda está funcionando;

 

No meu caso, procuro por algum leitor de RSS gratuito, baseado na nuvem e que tenha uma versão mobile, já que leio 85% dos feeds no meu celular Android (sim, Android, do Google… que ironia). E você, tem alguma sugestão?

Loading