Ainda jQuery e ASP.NET

No meu último post, escrevi sobre o jQuery passar a fazer parte do ASP.NET. Relendo-o agora, percebi que talvez não tenha sido claro o suficiente e achei que valeria a pena explicar quais os benefícios desse movimento por parte da Microsoft. O que importa não é que o jQuery poderá ser usado com o ASP.NET - isso já era possível antes, e não somente para o jQuery, mas também para outras bibliotecas javascript. A grande diferença é que agora ele fará parte do ASP.NET e do Visual Studio, e isso significa que a Microsoft dará suporte a ele na abertura de chamados de seus clientes. Isso é importante, pois é uma empresa dando suporte a um projeto open-source. Vocês devem conhecer, ou pelo menos ter ouvido falar, de casos de empresas que hesitam em adotar projetos open-source em seus projetos por falta de suporte oficial, com medo de serem deixadas na mão em caso de problemas. Os mais puristas e defensores do código aberto poderiam argumentar que não há falta de suporte, pois existe uma comunidade por trás do projeto, sempre disposta a ajudar quem precisasse. O fato é que as empresas não costumam acreditar nesse tipo de ideologia (não estou dizendo que seja certo ou errado, só estou fazendo uma constatação).

Nesse tipo de situação, havia duas alternativas: aguardar a Microsoft desenvolver um projeto equivalente à alternativa open-source, para utilizar algo que poderia ser chamado de oficial, ou então assumir os riscos e utilizá-lo mesmo sem o suporte (claro, a empresa também poderia escolher não usar o projeto ou então desenvolver uma solução proprietária). Supondo que a primeira alternativa seja a escolhida e que a Microsoft efetivamente lançasse um produto equivalente ao projeto open-source, o mesmo poderia deixar de existir, pois as empresas poderiam preferir a solução oficial (vejam o que aconteceu com os projetos de AJAX para ASP.NET quando a Microsoft lançou o ASP.NET AJAX). Para as empresas clientes da Microsoft, essa seria a situação ideal, pois contariam com um produto oficial e com suporte garantido. Já para a comunidade open-source, esse seria mais um passo da Microsoft para dominar o mundo, que estaria usando sua força e poder para varrer seus concorrentes do mapa. Difícil agradar a todos...

Assim, ao adotar o jQuery como parte de sua plataforma, a Microsoft admite usar um produto de boa qualidade mesmo que não tenha sido desenvolvido por ela, fazendo com ele não deixe de existir e nem deixe de ser open-source (outras plataformas não-Microsoft continuarão a usufruir de seus benefícios, afinal, o jQuery não foi vendido). Além disso, as empresas clientes da Microsoft ganham confiança na solução, pois sabem a quem recorrer se encontrarem algum problema.

Loading