IE 7 Release Candidate disponível para download

O Internet Explorer 7 Release Candidate 1 (IE7 RC1) está disponível para download. Isso significa que ciclo de versões beta terminou e o lançamento da versão final está cada vez mais próximo (a previsão é para o último trimestre de 2006). Além da correção de bugs e outras melhorias, ao instalar o RC não é mais necessário desinstalar versões betas do produto instaladas anteriormente.

Ricardo Oneda.

Esqueçam o IE 7+

Há algum tempo atrás, comentei sobre o IE 7+, que seria a versão do Internet Explorer para o Windows Vista. A reclamação foi tão grande, que a Microsoft resolveu mudar os planos e chamá-lo simplesmente de IE 7. Acredito que foi uma decisão de bom senso. Leia a história completa.

Ricardo Oneda.

Comparação entre browsers

O segundo semestre de 2006 promete ser agitado no que se refere ao mercado de browsers, já que os três principais navegadores - Internet Explorer, Firefox e Opera - terão versões novas lançadas (na verdade, a versão 9 do Opera já foi lançada). Li um artigo bem detalhado no qual são comparadas as características e performance das novas versões de cada browser. Alguns dados interessantes:

  • o consumo de memória, sem nenhuma página carregada e com as configurações padrões, do IE 6 é de 17 MB e do IE 7 Beta 3 é de 24 MB. Já do Firefox 1.5 é de 17.8 MB e do Firefox 2 Beta 1 é 42 MB. Ou seja, o consumo de memória para iniciar o browser, na nova versão do Firefox, mais que dobrou! Tudo bem que se trata de uma versão beta e, provavelmente, melhorias serão feitas, mas achei um exagero.
  • já o consumo de memória com seis sites sendo visitados ao mesmo tempo foi de 155 MB no IE 6, 70 MB no IE 7 Beta 3, 56 MB no Firefox 1.5 e 73 MB no Firefox 2 Beta 1. Percebe-se que o IE melhorou muito, reduzindo pela metade o uso de memória.
  • o tempo de inicialização do IE 7 Beta 3 foi de 7.7 segundos nos testes realizados. Já o Firefox 1.5 e 2 Beta 1 levam em torno de 12 segundos.
  • o Opera mostrou-se o browser mais compatível com os Web Standards e o IE o menos compatível.

Para mais detalhes dos testes e outras comparações interessantes, sugiro a leitura do artigo. E você, já escolheu qual será o seu novo browser?

Ricardo Oneda.

Entendendo os Bookmarklets

Bookmarklets são pequenos trechos de código javascript armazenados no Bookmarks, também conhecido como Favoritos no Internet Explorer. Uma vez armazenado, podemos colocar esse atalho em uma barra de ferramentas do browser e acionar o código com um único clique. O conceito, pelo que andei lendo, parece ser antigo, mas só vim a descobri-lo há pouco tempo, e achei a idéia bem interessante. Caso você não saiba, é possível executar código javascript a partir da barra de endereços do browser. Tente copiar o código abaixo na barra de endereços do seu browser, tecle ENTER e veja o alert sendo mostrado:

javascript:(function(){alert('Hello World!'); })()

Agora imagine escrever código que interaja com a página que está sendo exibida ou então que automatize uma determinada tarefa repetitiva. Pesquisei um pouco por aí e achei coisas bem interessantes. Por exemplo, um bookmarklet que faz uma pesquisa no Google sem que você tenha que passar pela página inicial:

javascript:q = "" + (window.getSelection ? window.getSelection() : document.getSelection ? document.getSelection() : document.selection.createRange().text); if (!q) q = prompt("Search terms? ... ", ""); if (q!=null) location="http://www.google.com/search?q=" + escape(q).replace(/ /g, "+"); void 0

Talvez você já tenha a barra de ferramentas do Google ou então utilize algum browser que já oferece o campo de busca integrado. Nestes casos, o bookmarklet acima não seria muito útil. Mas se você realiza buscas através do Google limitando o escopo da pesquisa em determinado site, poderia colocar essa configuração em um bookmarklet. O exemplo a seguir realiza uma pesquisa no site KB (Knowledge Base) da Microsoft através do Google:

javascript:q = "" + (window.getSelection ? window.getSelection() : document.getSelection ? document.getSelection() : document.selection.createRange().text); if (!q) q = prompt("Search terms? ... ", ""); if (q!=null) location="http://www.google.com/search?&q=site:support.microsoft.com+" + escape(q).replace(/ /g, "+"); void 0

Aproveitei a idéia e criei um bookmarklet com minha assinatura para os fóruns do MSDN Brasil. Se você constuma utilizar os fóruns, deve ter percebido que o campo de assinatura não permite código HTML. Entretanto, nada impede que você deixe este campo em branco e coloque, manualmente, sua assinatura, digamos, mais elaborada, em cada post. Isso traz alguns problemas: ou você digita sua assinatura todas as vezes ou então salva-a em um arquivo e, todas as vezes que for postar algo, abre o arquivo, copia o texto e cola. Com o bookmarklet abaixo, eu simplesmente clico no atalho, copio o texto que é mostrado e colo no post:

java script:(function(){var a='<p> </p><hr size="1" />Ricardo Oneda<br /><a href="+unescape(" target="_blank">http://thespoke.net/blogs/oneda/default.aspx </a><p> </p>';prompt("Assinatura",a); })()

Por algum motivo que não pude identificar, não consegui fazer com que a assinatura fosse adicionada automaticamente ao campo de edição da mensagem, sem a necessiadade do copiar e colar, mas mesmo assim, já ajudou. Enfim, as possibilidades são inúmeras.

Ricardo Oneda.

Internet Explorer 7 para Windows Vista

A Microsoft anunciou uma nova versão do IE7, chamada IE7+. Essa é a versão do Internet Explorer que virá com o Windows Vista e o "plus" refere-se a algumas características que só existirão no novo sistema operacional, como o Protected Mode, Parental Controls, etc.

Será que quando lançarem um Service Pack para esta versão do browser teremos um IE7++ ? Smile

Atualização: Esqueçam o IE 7+

Ricardo Oneda.

XMLHttpRequest agora é padrão

O W3C, órgão responsável pelo estabelecimento de padrões da Internet, publicou um draft com a especificação do objeto XMLHttpRequest, que é uma peça fundamental da técnica AJAX. Isso significa o primeiro passo para que o objeto XMLHttpRequest se torne um padrão reconhecido. Assim, os fabricantes de browsers passam a contar com um documento que os auxiliam na implementação do mesmo, diminuindo as chances de ocorrer problemas de incompatibilidade entre os browsers.

Apesar de praticamente todos os browsers mais modernos implementarem esse objeto, há pequenas diferenças na forma que o fazem, principalmente porque o IE, até a versão 6, utilizava um componente ActiveX. A partir da versão 7 do IE, este objeto passa a ser nativo, o que garante maior padronização.

Ricardo Oneda.