Internet Explorer 8 Beta 2: porque a Mozilla deve ficar preocupada

No último dia 27/08, a versão beta 2 do Internet Explorer 8 foi lançada. Se no beta 1 o público-alvo eram os desenvolvedores (assista ao OnedaCast sobre o Internet Explorer 8 Beta 1), no beta 2 o foco é direcionado para os usuários finais. São muitas as novidades, algumas simples, mas muito úteis. Arrisco a dizer que agora o Firefox poderá enfrentar uma situação a qual não está acostumado nos últimos anos, que é perder participação de mercado. Os destaques são:

  • tabs agrupadas por cores;
  • se alguma página causar um erro muito grave, somente a tab em que o erro ocorreu será afetada, ou seja, as outras tabs continuam abertas e funcionando;
  • mais facilidades em reabrir tabs fechadas anteriormente ou até uma sessão inteira do browser;
  • barra de endereços mais inteligente ao digitarmos a URL;
  • busca incremental na página, que vai destacando as palavras a medida que se digita, como já existia no Firefox (até que enfim!);
  • busca visual;
  • as Activities passaram a se chamar Accelerators;
  • botão de compatibilidade, que permite a um site não adaptado para os padrões de compatibilidade do IE 8 ser visto como no IE 7. Esse modo de compatibilidade funciona somente para os sites marcados como tal, e não para qualquer site visitado, como acontecia no beta 1. Além disso, não é mais necessário fechar e abrir o browser para a alteração ser efetivada;
  • Privacidade: duas novas funcionalidades permitem melhor controle sobre os rastros que deixamos no computador quando navegamos pela internet. O InPrivate Browsing faz com que nenhuma informação dos sites visitados fique armazenada: não são criadas entradas no histórico e o cache e cookies são apagados quando o browser é fechado. É como se fosse criada uma espécie de máquina virtual para o browser, que deixa de existir quando fechamos o navegador. Já o InPrivate Blocking atua quando visitamos um site que utiliza algum recurso de outros sites, impedindo que informações sejam transferidas para esses sites. Isso é muito utilizado em sites de anúncios, que podem rastrear nossos comportamentos na web e construir um perfil detalhado de cada um baseado no histórico de visitas.
  • SmartScreen Filter: uma evolução do Phishing Filter, protengendo os usuários também de sites conhecidos por distribuir malwares;
  • filtro anti-XSS - Cross-Site Scripting: o browser identifica um ataque desse tipo e evita que o mesmo aconteça. Assim, mesmo que a aplicação rodando no servidor seja vulnerável, o usuário não é afetado;

A Microsoft praticamente foi obrigada a lançar o IE 7, já que estava perdendo espaço para o Firefox e fazia muitos anos que não atualizava seu browser. Assim, as novidades já não eram tão novas assim, pois muitas das funcionalidades do IE 7, como navegação por tabs e caixa de busca integrada à janela do browser, já eram realidades há muito tempo para o Firefox. Agora, a situação é diferente. A Microsoft parece que aprendeu com os erros passados (principalmente em não deixar muito tempo transcorrer entre uma versão e outra) e trouxe uma série de novas funcionalidades úteis e que podem fazer com que o Firefox tenha que correr atrás para também implementar em seu browser.

Lembro que por se tratar de uma versão beta, não é recomedado instalá-la em um computador usado no dia-a-dia, pois problemas e incompatibilidades podem surgir. Até o lançamento da versão final, provavelmente até o final do ano, não está prevista a inclusão de nenhuma outra novidade, ou seja, até lá só serão feitas correções de bugs.

Visual Studio 2008 e .NET Framework 3.5 Service Pack 1

O Service Pack 1 do Visual Studio 2008 e do .NET Framework 3.5 já estão disponíveis para download (caso queira baixar a imagem com todo o SP 1 do Visual Studio 2008, com 830 MB, acesse este outro link). Além da correção de vários bugs, destaque também para as novas funcionalidades:

  • .NET Framework Client Profile: um subconjunto do .NET Framework 3.5 voltado para aplicações desktop;
  • ASP.NET Dynamic Data: possibilita o scaffolding para aplicações ASP.NET;
  • suporte ao SQL Server 2008, lançado recentemente;
  • ADO.NET Data Services, conhecido antigamente pelo codinome Astoria;
  • na versão Visual Web Developer Express do Visual Studio 2008, com o SP 1, agora é possível criar projetos do tipo Class LibraryWeb Application Project (sendo que este último, basicamente, faz com que o Visual Studio gere uma DLL a partir do código da aplicação, não sendo necessário enviar o código-fonte para o servidor - semelhante à maneira como o Visual Studio 2003 funcionava) ;

Vale lembrar que o ASP.NET MVC Framework não faz parte desse pacote, sendo que o mesmo ainda se encontra em versão preview.