Instalando o modem ADSL SpeedTouch 330 USB no Windows Vista

Se você utiliza banda larga com o modem SpeedTouch 330 via USB, encontrará problemas no Windows Vista. Isso porque o mesmo não é reconhecido automaticamente pelo novo sistema operacional. Notem que estou me referindo ao modem conectado à porta USB, e não ao modem que é conectado à saída da placa de rede Ethernet. Esse, pelo que fiquei sabendo, o Windows Vista reconhece normalmente, e é isso que, provavelmente, o pessoal do suporte técnico da empresa que vende o serviço de banda larga vai lhe falar. O fato é que a versão USB desse modem é quase uma anomalia (são poucos os felizardos que o possuem), tanto que este modelo nem está mais disponível.

Ao tentar instalar a aplicação que vem no CD (que não foi feita para o Vista), tudo aparentemente vai bem, até o momento do boot. Neste instante, a instalação é interrompida e aparece uma mensagem de erro dizendo que "O cliente PPoE não foi instalado". Neste ponto, apesar da instalação não ter sido concluída, os drivers do modem já foram copiados para o HD e já é possível instalar o modem manualmente. Apesar de assim termos acesso à Internet, não é uma solução muito bonita, pois estamos utilizando uma versão de driver antiga e a mensagem de erro sempre aparece quando inicializamos o computador.

Pesquisando um pouco na Internet, descobri que várias pessoas estavam enfrentando o mesmo problema. Também descobri que, recentemente, a Thomson, fabricante do produto, disponibilizou em seu site uma versão do driver para Windows Vista. Para instalá-lo, siga o seguinte procedimento:

  1. desligue o modem da porta USB; 
  2. caso tenha instalado alguma versão anterior do driver, desinstale-a;
  3. dê um boot no computador;
  4. execute o arquivo copiado do site com os novos drivers;
  5. quando solicitado, conecte o modem à porta USB;

Em minhas pesquisas sobre o assunto, achei um post de um blog brasileiro que explica um outro procedimento. Não cheguei a testá-lo, mas fica aqui a referência, caso alguém precise.

Data de lançamento do Visual Studio 2008

A Microsoft divulgou que o Visual Studio 2008 (codinome "Orcas") será lançado oficialmente no dia 27 de Fevereiro de 2008, juntamente com o Windows Server 2008 (anteriormente conhecido como "Longhorn Server") e o SQL Server 2008 (codinome "Katmai"). Vale lembrar que isso não significa que os produtos estarão disponíveis a partir desta data. Alguns podem ser disponibilizados um pouco antes e outros, um pouco depois. Essa data funciona mais como um marco, a partir do qual se notará uma divulgação mais pesada de marketing, através de eventos pelo mundo e treinamentos, por exemplo.

Esses últimos anos têm sido movimentados em relação às novidades de tecnologia, especialmente da Microsoft. Desde 2002, e já contando os lançamentos do próximo ano, tivemos quatro versões do Visual Studio .NET (2002, 2003, 2005 e 2008), duas versões do SQL Server (2005 e 2008) e duas versões do Windows Server (2003 e 2008). Podemos enxergar esses acontecimentos sob duas perspectivas: pelo lado de quem gosta de tecnologia, é um prato cheio, pois sempre há bastante conteúdo novo para aprender; por outro lado, essa quantidade de novidades acaba causando um certo desconforto e, muitas vezes, ficamos um tanto perdidos no meio disso tudo, sem saber por onde começar. Isso causa frustração, ansiedade e estresse, já que sempre estamos esperando pelo próximo lançamento, mesmo sabendo que não teremos condições de assimilar tudo o que já existe e o que está por vir.

Isso é mais ou menos comum no mundo de TI, mas percebo que o processo vem se acelerando nos últimos tempos. Vejam o caso do Silverlight, por exemplo. Existe a versão 1.0, que está em beta, e a versão 1.1, que se encontra em alpha! Não me lembro de nenhum outro caso em que o produto nem havia sido lançado e já existia uma nova versão pública dele. Talvez esse sentimento exista por causa das várias versões preliminares (CTPs e betas) que são lançadas e num espaço de tempo prolongado. No caso do Visual Studio 2008, a primeira versão CTP foi lançada em 2006, ou seja, teremos quase dois anos de versões preliminares antes da versão final. Pela quantidade de material sobre ele que vemos pela Internet, quando o produto for lançado no ano que vem, muita coisa já não será mais novidade.

Vale a pena tentar se manter atualizado com tudo isso, já que parece que nesse jogo estaremos sempre em desvantagem? Particularmente, acredito que a melhor maneira para diminuir essa sensação de impotência é não tentar conhecer tudo profundamente. É impossível! Principalmente em versões CTPs, que estão sujeitas a muitas mudanças, corremos o risco de aprender algo que irá mudar, ou pior, que pode deixar de existir. Acredito que a melhor saída para tentar manter um nível mínimo de sanidade seja ter uma visão geral sobre as novidades e, conforme a tecnologia se aproximar de uma versão mais estável e madura, aprofundar-se em tópicos de maior interesse. Assim, quando surgir uma oportunidade para utilizar determinada característica, saberei que ela existe e aí sim me aprofundarei no assunto.

E você, como lida com esse furacão de informações e novidades? Deixe seu comentário!