Descobrindo se o seu computador é compatível com o Windows Vista

Se você pretende utilizar o Windows Vista no seu computador, então é interessante saber se o mesmo é compatível ou se há algo que deve ser melhorado para usufruir das novas funcionalidades. Existem vários recursos que podem ser utilizados com essa finalidade.

A Microsoft oferece o download do Windows Vista Upgrade Advisor, que é um programa que varre o seu computador, gerando um relatório dos pontos fracos e fortes, além de recomendações sobre qual edição do Windows Vista faria melhor uso do hardware.

Além disso, você também pode consultar o Hardware Compatibility List - HCL, que é uma lista de dispositivos que foram testados com sucesso no Windows Vista. O fato de algum hardware não estar na lista não significa que ele não funcionará no Windows Vista, mas também não há garantida nenhuma de que funcione.

Outra ferramenta que pode ser consultada é o Software Compatibility List, que é mantido por um site independente em formato wiki. Nele são mostrados os softwares que funcionaram, os que não funcionaram e os que para funcionar no Windows Vista precisaram de algum ajuste.

Mitos do Windows Vista

Segundo o dicionário, uma das definições de mito é afirmação fantasiosa, inverídica, que é disseminada com fins de dominação, difamatórios, propagandísticos, como guerra psicológica ou ideológica. Ou seja, é uma história inventada que adquire ares de verdade e, quanto mais se propaga, mais é considerada verdadeira.

Existem alguns sites, como o XP Myths e o Firefox Myths, que questionam esses mitos e tentam mostrar que a verdade não é bem aquela. Seguindo a mesma linha, o jornalista Ed Bott resolveu desmistificar algumas histórias sobre o Windows Vista. Até o momento foram publicadas 8 mitos, mas ele promete publicar mais dois até a data do lançamento oficial em 30 de janeiro. Vale a pena conferir. Quem sabe aquilo que você ouviu ou leu não passa de um mito?

Melhorias de segurança no Windows Vista

Segurança foi uma área que recebeu atenção especial no desenvolvimento do Windows Vista. Foram mais de 180 melhorias e funcionalidades incluídas com o objetivo de tornar o sistema operacional mais seguro.Entre as principais características de segurança, podemos destacar:

  • User Account Control - UAC, que solicita confirmação de toda ação que exige privilégios administrativos para ser executada. Apesar da intenção ser boa, pode ser banalizado e fazer com que o usuário sempre aceite a confirmação ou forneça as credencais, sem nem mesmo saber exatamente o que está fazendo, o que poderia facilitar a instalação de programas indesejáveis;
  • melhorias no Windows Firewall, que agora permite o bloqueio do tráfego que sai do computador, ao contrário do Firewall do Windows XP, que só bloqueia o tráfego recebido pelo computador. Curiosamente, esta função não virá habilitada por padrão no Vista, o que gerou algumas críticas à Microsoft, que tratou de justificar sua decisão em alguns de seus blogs;
  • Windows Defender: é o programa de combate a malwares que será nativo no Windows Vista. Ele também pode ser instalado no Windows XP;
  • Internet Explorer Protected Mode: no Windows Vista, o IE 7 será executado com permissões mais restritas, numa espécie de sandbox, o que evitará que aplicações maliciosas tenham acesso direto ao sistema;

Claro que isso não significa o fim dos problemas de segurança, até porque a causa da maioria deles tem muito mais a ver com comportamento do que com tecnologia, mas são medidas importantes que visam tornar o sistema mais seguro.

Referências:

Microsoft's new identity: secure OS vendor?

Windows Vista Security and Protection 

Windows Vista Security and Data Protection Improvements 

Windows Vista Security Guide 

Windows Vista Review Part 5: Windows Vista Features: Security Features 

As Edições do Windows Vista

Com o lançamento do Windows Vista para o varejo no próximo dia 30 de janeiro, a partir de hoje publicarei aqui no blog alguns posts sobre a nova versão do sistema operacional da Microsoft.

O Windows Vista estará disponível em vários "sabores". Ao todo, serão seis edições, listadas a seguir em ordem crescente de funcionalidade: Starter, Home Basic, Home Premium, Business, Enterprise e Ultimate. Essas são as edições oficiais. Existem também as edições "N", compostas pela Home Basic N e Business N. Elas serão comercializadas na Europa e equivalem as edições Home Basic e Business, respectivamente, com a diferença de que não possuem o Windows Media Player, resultado de um processo anti-truste movido pela União Européia. Na Coréia do Sul, haverá ainda mais duas edições, também por motivos jurídicos: a "K", que contém links para sites de programas concorrentes do Windows Media Player e Messenger, e a "KN", que não vem com esses programas instalados.

A versão mais simples é a Starter, equivalente a Starter Edition do Windows XP, voltado para computadores de baixo custo em países em desenvolvimento. A versão mais completa (e também a mais cara) é a Ultimate. Entre esses dois extremos, encontram-se as demais versões, cada uma com suas características e funcionalidades. Por exemplo, a badalada interface gráfica Aero só está disponível a partir da edição Home Premium. Seria muita pretensão da minha parte listar o que está disponível em cada versão. Portanto, segue uma lista de links nos quais você poderá obter mais detalhes a respeito das diferenças:

Windows Vista Product Editions - Supersite for Windows

Windows Vista Review Part 2: Understanding the Vista Product Editions

Windows Vista: Editions - Microsoft

Windows Vista - comprehensive feature comparison

Windows Vista - Wikipedia

Lançado ASP.NET AJAX 1.0

A Microsoft lançou a versão final do ASP.NET AJAX, conhecido anteriormente pelo codinome Atlas, que é o framework para técnicas AJAX em .NET.

O legal é que o código-fonte da implementação do ASP.NET AJAX também foi disponibilizado para download.

Por fim, mas não menos importante, temos a participação direta de um brasileiro no ASP.NET AJAX Control Toolkit, que é um conjunto de controles já prontos que utilizam técnicas AJAX. Trata-se do MVP Fernando Cerqueira, que participou no desenvolvimento do toolkit. Parabéns!

Sobre computadores e eletrodomésticos

Há alguns meses, ainda no meu antigo blog do theSpoke, escrevi sobre os problemas que podem surgir da tentativa de popularização dos computadores pessoais. Naquela ocasião, comentei que, apesar dos computadores estarem sendo tratados como eletrodomésticos, eles ainda estavam longe de se enquadrarem nessa categoria.

Lembrei-me disso quando achei por acaso, no site da PC Magazine brasileira, um artigo do John C. Dvorak exatamente sobre este assunto. No artigo O mito do computador como eletrodoméstico, ele explica, de uma maneira um tanto sarcástica, como já é costume em seus textos, porque o computador não pode ser considerado um eletrodoméstico. Segundo ele, o principal motivo é a complexidade e a quantidade de funcionalidades que essas máquinas adquiriram e continuam a agregar. Isso não torna os computadores ferramentas de utilização simples, como muitos gostariam que fossem.

Li o artigo e fiquei pensando como o uso de computadores poderia ser facilitado. A última grande revolução nesse sentido foi a utilização de interfaces gráficas, que de fato contribuíram bastante para a popularização dos micros. Após isso, só houve evoluções em cima do conceito. Muito ainda pode ser feito em termos de conceitos de usabilidade mas, baseado nas minhas experiências e no que vejo por aí, não sei se podemos esperar muito mais que isso. Claro, estou fazendo este prognóstico com base em meus humildes conhecimentos e na tecnologia que temos disponível hoje. Nada impede que amanhã se invente ou descubra algo revolucionário e que mude radicalmente a maneira como lidamos com essas máquinas. Mas essa hipótese muda todo o contexto e perspectiva que temos atualmente.

Uma área que há tempos é considerada promissora é a de reconhecimento de comandos por voz. Mesmo com toda evolução, ela ainda pode ser considerada precária. Também acho difícil operarmos um computador totalmente por voz algum dia. Acredito que o reconhecimento de voz será realidade no futuro, mas cuidando de operações mais simples, como operar uma TV ou geladeira, ou seja, eletrodomésticos "verdadeiros" e com funções mais bem definidas, ou então utilizando a voz para reconhecer a identidade de uma pessoa em sistemas de segurança.

O único ponto em comum entre um computador e um eletrodoméstico continuará sendo o fato de que ambos se ligam à parede por causa da  eletricidade Smile.

Webcasts sobre segurança com AJAX

Para os desenvolvedores web preocupados com segurança (todos deveriam estar preocupados), começará esta semana uma série de webcasts sobre aspectos de segurança na utilização de AJAX, com ênfase maior no ASP.NET AJAX, conhecido anteriormente como Atlas.

Apesar de toda a badalação em torno dessa "nova" técnica, poucos têm se preocupado com as novas brechas que esse tipo de desenvolvimento pode introduzir, caso não sejam tomados alguns cuidados. Sugiro a inscrição.