Data de lançamento do Windows Vista

A Microsoft ainda não se pronunciou oficialmente sobre a data de lançamento do Windows Vista. Especula-se muito que a nova versão do Windows estaria disponível para os consumidores no início do ano que vem. Agora, as especulações ganham mais força, já que na Amazon é possível fazer a encomenda do Windows Vista. E a data prevista para o lançamento do produto é 30/01/2007, segundo o site da Amazon.

Ricardo Oneda.

IE 7 Release Candidate disponível para download

O Internet Explorer 7 Release Candidate 1 (IE7 RC1) está disponível para download. Isso significa que ciclo de versões beta terminou e o lançamento da versão final está cada vez mais próximo (a previsão é para o último trimestre de 2006). Além da correção de bugs e outras melhorias, ao instalar o RC não é mais necessário desinstalar versões betas do produto instaladas anteriormente.

Ricardo Oneda.

Provavelmente, seu próximo computador terá dois núcleos

Segundo a lei de Moore, a capacidade de processamento dos chips dobra a cada 18 meses, enquanto que os custos permanecem constantes (não confunda com a lei de Murphy, que diz que, "se alguma coisa pode dar errado, dará"!). Gordon Moore é um dos fundadores da Intel, e ele fez essa constatação em 1965.  Quarenta anos se passaram desde então, muita coisa mudou e evoluiu, mas essa lei tem se mantido como  uma verdadeira profecia. Essa evolução da capacidade de processamento tem acontecido, basicamente, através do aumento da velocidade do processador, que por sua vez é conseguido pela adição de mais, e menores, transistores em chips, também cada vez menores.

Isso pode ter funcionado bem nos últimos tempos, mas não é difícil perceber que existem limites que serão confrontados, cedo ou tarde. O primeiro limite é o de ordem física, já que chegará um momento em que não será mais possível diminuir o tamanho dos transistores e dos chips. O segundo é o aumento do aquecimento e do consumo de energia, gerados pela concentração de mais e mais transistores em chips menores, o que pode provocar falhas. O terceiro problema é financeiro, pois os investimentos necessários para se pesquisar e fabricar processadores são maiores a cada geração. Colocado desta maneira, parece ser o fim da lei de Moore.

É aí que entram os processadores dual-core, ou com dois núcleos. Com eles, a necessidade de se diminuir o tamanho dos componentes para aumentar o clock não é mais obrigatória para aumentar a capacidade de processamento. O trabalho pode ser dividido entre vários núcleos (já se fala em processadores com 4 e 8 núcleos). Isso também evita o superaquecimento e o aumento no consumo de energia. A Intel anunciou recentemente a comercialização destes processadores para desktops e notebooks, batizados de Core 2 Duo. No começo, o preço desses chips deve ser um pouco salgado, mas a tendência é que se tornem mais baratos com o aumento de escala de vendas. Se você pretende comprar um computador logo, talvez seja mais interessante aguardar um pouco, até porque tem também o Windows Vista, que está previsto para ser lançado no começo do ano que vem e que irá rodar melhor em um computador equipado com um chip dual-core. Se quiser saber mais sobre essa tecnlogia, leia uma FAQ sobre o assunto.

Ricardo Oneda.

Novidades no Programa Desenvolvedor 5 Estrelas

O MSDN Brasil atualizou o Programa Desenvolvedor 5 Estrelas. Caso você não o conheça, este é o programa que oferece, gratuitamente, treinamentos multimídias das tecnologia de desenvolvimento da Microsoft e que concede estrelas, até no máximo 5, conforme você é aprovado nas provas. É óbvio que essas estrelas não têm o mesmo valor e peso de uma certificação, até mesmo porque o objetivo é outro, já que o foco é estimular o aprendizado, e não comprovar o domínio de uma tecnologia, que é papel da certificação.

A primeira versão do programa, chamada de 2003, foi descontinuada, e o conteúdo e as provas da versão 2005 (baseados no .NET Framework 2.0) foram revisados. Quem já possuía as 1a e 2a estrelas da versão 2005 continuará com elas, mas as novas provas também poderão ser feitas. Outra novidade é a disponibilização, para download, do material da 3a estrela, sendo que as provas para esta nova fase estarão disponíveis a partir do dia 15 de agosto de 2006, de acordo com o site.

Não foram divulgados detalhes de como funcionará a concessão das 4a e 5a estrelas. Na versão 2003, somente quem possuía as certificações oficiais da Microsoft (MCP, MCAD e MCSD) tinha direito a estas estrelas.

Ricardo Oneda.

O porquê dos problemas do theSpoke

Outro dia, comentei sobre os problemas que o theSpoke tem apresentado desde sua migração no ano passado, a falta de atualizações de suas funcionalidades e a debandada de pessoas que estão mudando seus blogs. Hoje, o Daniel Wollmann, da Microsoft, respondeu uma dúvida no fórum do MSDN Brasil exatamente sobre esse assunto. As novidades não são o que, acredito, a maioria de nós esperava. Leiam e comentem.

Ricardo Oneda. 

Esqueçam o IE 7+

Há algum tempo atrás, comentei sobre o IE 7+, que seria a versão do Internet Explorer para o Windows Vista. A reclamação foi tão grande, que a Microsoft resolveu mudar os planos e chamá-lo simplesmente de IE 7. Acredito que foi uma decisão de bom senso. Leia a história completa.

Ricardo Oneda.

Linux: o tiro que pode sair pela culatra

Outro dia, estava lendo uma notícia que dizia que, dos computadores vendidos com o sistema operacional Linux, somente 25% permaneceram com o sistema. Os demais 75% tiveram o sistema trocado para Windows em até três meses após a compra do computador. Pois bem, fui testemunha deste fato.

Uma família que conheço adquiriu recentemente um computador. Como eles se enquadram na categoria de usuários, ou seja, não conhecem detalhes técnicos de informática, estavam tendo alguns problemas com a instalação e me pediram uma ajuda. Ao chegar na casa deles, deparei-me com uma tela com a mensagem de erro e o prompt do sistema operacional, solicitando a senha do usuário root. Nesse momento, percebi que se tratava de um computador rodando Linux. O problema estava ocorrendo porque tentaram instalar um aplicativo Windows no Linux. Como Linux não é a minha praia, resolvi reinstalar o sistema pelo CD de recuperação que veio junto com o computador. O processo de instalação, ao contrário do que esperava, mostrou-se extremamente fácil e rápido, e logo o computador já estava funcionando. Expliquei para eles  que, como o computador rodava Linux, não seria possível executar aplicativos Windows nele. As versões para Linux dos softwares deveriam ser adquiridas e então instaladas. Aí que começaram os problemas, já que os aplicativos que eles queriam instalar eram todos para Windows. Internet? Sem chance, já que o discador que eles tinham era para Windows. Nem a multifuncional que compraram poderia ser instalada, já que só havia drivers para Windows. Para resumir a história, no final, eles já estavam decididos que iriam instalar o Windows.

Imaginem a quantidade de pessoas que não entendem detalhes técnicos de informática e que acabam se frustrando por causa de acontecimentos como esse. Atraídas pelo preço mais baixo, acabam comprando gato por lebre, já que não sabem quais as implicações de se adquirir um computador com Linux ou com Windows, afinal, o que elas querem é ligar e usar, sem se preocupar com detalhes, código-fonte, etc. Uma iniciativa cuja intenção é nobre (inclusão digital, maior acesso a informação, etc) acaba criando uma série de problemas. O primeiro é que, na visão dessas pessoas, o Linux é o culpado e ficará com fama de porcaria. Além disso, aposto que, no mínimo, 90% das cópias de Windows instaladas em máquinas que vieram com Linux são piratas. Isso acaba incentivando essa indústria, que por sua vez acaba estimulando uma série de atividades criminais, trazendo problemas sociais e econômicos, sem falar no que o Estado deixa de arrecadar em impostos. Se a pessoa fizer parte da minoria que opta por comprar uma versão original do Windows, ela também acabará pagando mais do que se tivesse comprado o Windows com o computador, já que esta versão vendida junto ao hardware, chamada de OEM, é mais barata que o Windows vendido na prateleira da loja. Enfim, todos perdem.

Como o computador está sendo tratado como eletrodoméstico (o que, na minha opinião e no estágio atual, é uma visão equivocada, mas que tende a se tornar realidade no futuro), as lojas que os vendem deveriam estar mais preparadas para explicar essas diferenças aos seus clientes e suas implicações. Não importa se o cliente quer Windows ou Linux. O que importa é que seja uma decisão consciente. 

Ricardo Oneda.